Page 4 - Informativo GPLPE
P. 4

A CIDADE E AS SERRAS

                   INFORMATIVO DO GABINETE PORTUGUÊS DE LEITURA DE PERNAMBUCO




       ENTREVISTA          AMOR POR PORTUGAL DE PAI PARA FILHO


      Bento Romeira,            Filho de portugueses, Bento Romeira é um
          diretor social   apaixonado pelas tradições lusas. O amor vem de
           do Gabinete     berço, já que seu pai, Paulino Romeira, sempre foi
             Português     uma  pessoa muito  atuante  na  comunidade  por-                                           Foto: Jão Vicente
          de Leitura de    tuguesa do Recife, ocupando diversos cargos nas
                           instituições. O empresário, que é diretor social do
           Pernambuco
                           Gabinete Português de Leitura de Pernambuco
                              (GPL-PE), fala de suas heranças e dos planos
                                para a área social do Gabinete este ano.




       Qual a sua relação com Portugal?     to Filho é vice-diretor fi nanceiro do GPL-PE.   Quais os planos para o Gabinete este ano?
       Eu possuo dupla cidadania e vou para Portu-  E todos participam dos eventos da comuni-  Com o convite para o cargo de Diretor So-
       gal todos os anos. Meus fi lhos também vão   dade, e gostam muito.       cial do GPL-PE, pelo presidente do GPL-PE,
       com frequência. Meu pai (o português Pau-                                Celso Stamford, me espelhei num pensa-
       lino Romeira, ex-presidente do GPL-PE) veio   Como você começou a se vincular com a   mento do Sr. Manuel Tavares, quando ele
       da região do Porto para o Brasil, mas sem-  comunidade portuguesa no Recife?  ainda era o presidente do Conselho da Co-
       pre  teve  carinho  por  sua  terra,  tanto  que   Pela minha origem, desde jovem frequen-  munidade Portuguesa de Pernambuco, que
       nunca  se  naturalizou brasileiro,  e sempre   tei por diversas vezes os eventos da colônia   fi quei encantado. Um homem altamente
       nos passou esse amor. Ao mesmo tempo ele   portuguesa com os meus pais e familiares,   simpático, extremamente sociável, com es-
       amava o Brasil, dizia que era “uma pérola do   os quais desde cedo assisto participarem   pírito jovem e muito agregador. Dizia que a
       mundo”. Minha mãe é fi lha de português, e   ativamente da comunidade. Sou sócio do   Comunidade e suas instituições precisavam
       temos muitos tios e primos de lá também. A   RHP,  do  Clube  Português,  da  Comunida-  ter continuidade através dos descendentes
       gente se habituou a ter essa vinculação for-  de Portuguesa, do GPL-PE, tanto eu como   dos portugueses, que deveriam ser estimu-
       te com o país. E toda festa das instituições   minha esposa, meus fi lhos e neta, tendo   lados a participarem para dar continuidade
       portuguesas, a gente estava lá. Com o tem-  todos, dupla nacionalidade. Além disso,   às mesmas no futuro. Encontrei nesse mo-
       po, eu e meus irmãos começamos a achar   quando encontro na minha terra pessoas   mento um presidente com o mesmo pensa-
       bom e fomos assumindo o legado.      com as mesmas tradições, que também são   mento e empenho. Então, para esse ano,
                                            descendentes, isso gera ainda mais vínculo.  queremos atrair mais eventos sociais que
       Que tradições da cultura portuguesa você                                 tenham o perfi l do Gabinete, como tivemos
       ainda conserva?                      Como você enxerga o papel do GPL-PE   no ano passado. Não só como os das princi-
       Os costumes lusos sempre estiveram pre-  dentro da comunidade portuguesa?  pais datas da instituição: 10 de junho, Dia
       sentes na minha casa, como a culinária. O   Não desconsiderando as outras instituições,   de Portugal, de Camões e das Comunidades
       que une muito os portugueses é a mesa. É   mas o Gabinete é uma sala de visita, é a casa   Portuguesas, e 3 de novembro, aniversá-
       um lugar de confraternização. Fazer um   do português no Recife. É mãe de todas as   rio da instituição. É uma casa portuguesa,
       pratinho e sair da mesa é quase uma ofen-  outras instituições lusas da cidade. Foi ali   mas que está a serviço de todos. Estamos
       sa. O português dá muito valor à terra dele,   que nasceu o Hospital Português, o Clube   de portas abertas para receber encontros
       e passa isso às pessoas mais próximas. E o   Português, o Clube Almirante Barroso. Sem-  variados, mas dentro do nosso perfi l. Tam-
       apego familiar, todo mundo sempre reunido   pre foi um lugar de reunião, confraterniza-  bém, como objetivo principal do nosso Pre-
       no Natal e no Ano Novo. Na casa dos meus   ção e de criar vínculos. É um vínculo social   sidente e toda a Diretoria, queremos trazer
       pais, na virada do ano tinha que ter o hino   entre Portugal e Brasil. Todas as autorida-  mais associados ao GPL-PE, para isso esta-
       nacional brasileiro e o português.   des de Portugal e de países de língua por-  mos com o projeto de modernizar a biblio-
                                            tuguesa que passam pelo Recife visitam o   teca para facilitar o acesso ao acervo e digi-
       Como você está transmitindo essa     Gabinete, representantes de universidades   talizar as principais obras, pois a biblioteca
       tradição?                            de todo o mundo, colégios com seus alunos,   é o coração do GPL-PE. A casa está limpa,
       Tenho quatro fi lhos, e dois já estão engaja-  escritores, poetas e artistas, por conta da   pintada e arrumada, mas ainda há muito o
       dos nas instituições portuguesas. Patrícia é   sua importância histórica e cultural para os   que fazer para ela fi car como deve ser: im-
       secretária da Academia do Bacalhau, e Ben-  portugueses e brasileiros.   pecável!

                                         APOIAM ESTA EDIÇÃO DE A CIDADE E AS SERRAS







     4
   1   2   3   4